50 tons de música boa

Esse feriado aproveitei a estréia de 50 tons de cinza e fui vê-lo no cinema. Como eu já esperava, o filme não é lá essas coisas e minha opinião sobre o filme (e o livro) é um tanto quanto polêmica. Agora em compensação, a trilha é um negócio de loucoooo!!!


A gritaria e confusão sobre a trilha começou toda quando revelaram uma versão de Crazy In Love de Beyoncé que está no filme, mas enquanto eu estava preocupada com a pipoca que estava transbordando do saquinho e caindo na minha bolsa, alguma música surgia e aí minha atenção voltava pro filme. A trilha já está disponível para baixar no The Pirate Bay comprar no iTunes, tem de Beyoncé à Rolling Stones. Eu já baixei comprei e elegi minhas três preferidas, ouçam aqui:


One last night – Vaults

Salted Wound – Sia

Love me like you do – Ellie Goulding

Alguém tem alguma preferida? ;)

Naked versão brazuca

Numa das zilhões andadas que dei pelo shopping, achei uma paleta da Koloss nitidamente cópia da Naked. Até tive vontade de comprar, pois com o dólar lá em cima, até pra importar uma naked tá ph#da. A versão Brasileira da Naked, fabricada da Koloss, está sendo vendida por uma média de R$66 – sinceramente? achei um pouco salgado por se tratar de uma marca tão popular.


Fui ler algumas reviews sobre o produto e descobri que existem duas paletas – uma imitando a Naked1 e a outra a Naked2 e segundo as pessoas que testaram, a pigmentação é sempre mais fraca na Koloss, além das sombras sempre esfarelarem. Porém, vi algumas maquiagens feitas por ela e vi que o resultado final é bom. Agora estou numa dúvida do brêu: Koloss ou Urban Decay?

A polêmica do baile da Vogue 2015

Tapa na cara, dedo no olho, cotoveladas marcaram o fim de semana dos pobre mortais que acompanharam o baile da Vogue pelas redes sociais. De um lado: fãs da Sabrina Sato, feminazis e/ou pessoas sem noção do que se trata. De outro lado: entendidos de moda, gente que sabia exatamente do que se tratava o tema do baile e/ou alguns haters. Pronto, começou o pau.
Segundo o próprio convite dizia (clica aqui pra ver), o tema da festa seria La Grande Folie – um baile de máscaras como os bailes da época de Maria Antonieta. O que entendemos por baile de máscaras? Ok… se não entendemos nada, explico já já. A confusão toda se deu porque chega na festa Sabrina Sato vestida assim:

A maioria ecoou um “what the fuck!??” mas por outro lado alguns bateram palmas e a pergunta que não queria calar era: A fantasia de Sabrina tem ou não a ver com o baile?
Bem, a fantasia dela foi copiada do figurino do cabaré Crazy Horse. De acordo com WikiPedia, o Crazy Horse é:

É um cabaré de Paris cujo seu espetáculo é executado por dançarinas seminuas.

Considerado um classicista na modernidade, em Crazy Horse, de Alain Bernardin, apresenta-se o ideal da beleza feminina de hoje, actualizando este conceito de acordo com a evolução ditada pelos criadores de sectores tão variados como a moda, os audiovisuais, o cinema e a publicidade.

Daí fui mais além e decidi pegar também a descrição do Wikipedia sobre Baile de Máscaras, e descobri que ao contrário do que muita gente pensa, os bailes de máscaras não começaram em Veneza e sim na França no século 15 e somente no século seguinte os bailes de máscaras começaram a acontecer na Itália. Nesses bailes, as pessoas basicamente se vestiam assim:

Agora vamos raciocinar juntos: o que o Crazy Horse tem a ver com o tema de baile de máscaras da Vogue? Isso! Nada!! (e o Michael Jackson também não tem nada a ver com baile de máscaras ok, Anitta?)

Alguns exemplos de pessoas adequadamente vestidas dentro do tema do baile :

Espero ter ajudado… bjo! :)
p.s. Adooooro a Sabrina, acho ela foférrima – quem acompanha o blog sabe que ela já foi parceira numa promo do blog, mas acho que o figurino dela teria tudo a ver numa escola de samba ou numa festa de carnaval sem um tema tão específico.

Related Posts with Thumbnails