Koya Cell Cases

Desesperadora. Essa é a palavra que define minha experiência na Koya Cell Cases de Fortaleza.
Todo mundo sabe que sou viciada em capinhas de iPhone , todo ano troco o modelo do meu e junto com ele vem as novas capinhas. Quando comprei meu iPhone 6 (como contei naquele post, lembram?) só comprei 2 capinhas bem discretas pra não chamar atenção na alfândega. Não seria muito convincente um homem passar por ela com um iPhone 6 dourado e várias capinhas fofinhas na mala dizendo que era pra uso pessoal. Aí fiz uma feira de capinhas no Ali mas… até agora não chegou nenhuma na minha casa.

Enquanto elas não chegam, fui na Koya. Aqui nos shoppings existem uma infinidade de lojas vendendo cases, mas não cobram menos de 80 reais numa capa lisa, sem graça. Enfeitadinhas bote aí mais de 100 mangos… Não pago! É muita cara de pau por mais que exista imposto e lucro do lojista querer vender capinha que se compra por 5 dolares (quando chega a isso) nos Alis da vida e querer cobrar 100 pilas!
Mas a Koya não é assim. A capa mais cara foi a do Starbucks (lá embaixo tem foto) que custou R$40. As outras todas foram R$30. Não é mega baratinho mas é justo, paguei com o maior prazer.

A Koya é assim: tem uma loja gigante com capinhas e alguns acessórios pra tudo quanto é modelo de celular e ao lado tem uma Koya menor que é assistência técnica e acessórios tipo fones, caixa de som, pen drives…
A loja é fooooofa de doer! Toda cor de rosa e toda a equipe, sem exceção é de uma doçura imensa, se desmancham de atenção.

Comprei capinhas, saquinho a prova d’agua (que usei pra fazer as fotos do post anterior) e ainda ganhei mais capinha e a famosa película de vidro. A koya cell cases fica em Fortaleza mas entregam no mundo todo através do site. Sempre que for em Fortaleza, vou fazer comprinhas na Koya!

Serviço : Koya Cell Cases
Shopping Center Um – Av. Santos Dumont, 3130 – Loja 206 (2º Piso) – Fortaleza
Fone: (85) 33931639
Instagram: @koyacellcases

Eu fui: Beach Park

Olá diretamente da ensolarada Fortaleza!
Esse fim de ano resolvi matar as saudades de pessoas e coisas do tempo da minha infância em Fortaleza. Logo no começo da semana visitei a escola onde estudei e até encontrei professores do meu tempo. Mas a saudade estava bem grande de um parque que fui pela última vez em 2000, dias antes de ir embora para Recife – o Beach Park. O lugar cresceu absurdamente, e consequentemente inflou bastante os preços. Como vi na internet muita gente tentando descobrir preços de comida e outras coisas, resolvi contar tudo aqui pra vocês.

Antes de entrar no parque aquático, você passa pelos resorts e um trecho de praia que tem mesas e um lounge da Chandon. Não parei nessa parte, meu objetivo era o parque aquático e fui direto pra ele. A abertura as 10hr é apenas para hóspedes dos resorts, as 11hr é liberada a entrada do público. Os guichês funcionam super rápido, a fila anda ligeiro. Lá você paga a entrada, o cartão de consumo (R$2 + o crédito que você vai inserir para gastar com coisas lá dentro) e a chave do armário grande ou pequeno para guardar seus pertences. Peguei um armário grande por R$44 + calção de R$22 da chave caso a perca (e perdi! Tenho o braço fino e o chaveiro de enfiar no punho é bem largo, então pra tentar não perder a chave, dei uma laçada no cordão do cartão de consumo e em um dos brinquedos, ela se soltou e perdeu. Eles disseram que foram até a piscina do tal brinquedo procurar e não acharam… mas quem garante que eles foram mesmo?). Caso na saída você não tenha consumido todo o crédito que você inseriu, eles devolvem o troco. Caso não tenha perdido a chave, eles também devolvem a calção.

Já dentro do parque, em todas as partes existem lanchonetes, restaurantes, lojinha de souvenir e até um self service. Eu sinceramente sou dessas que quando estou em shopping esqueço até de comer e beber água, portanto no parque não foi diferente. Aproveitei pra inaugurar minha bolsinha a prova d’água do iPhone e fiz um monte de fotos e videos dentro das piscinas e dos brinquedos. Também inaugurei meu maiô da Água de côco para C&A – aliás, recomendo muito que você vá de maiô pois é muito comum ver pessoas de biquíni ficando nuas na saída dos brinquedos mais “violentos”. Também recomendo que caso vá em turma, procure brincar só – sempre você tem que esperar um amigo fazer uma coisa ou outra e acaba perdendo tempo com isso. Perdi muito tempo procurando a chave que perdi, amigo que queria descer no insano ou entrar em sauna e acabei não indo em alguns tobogãs que queria ir. Mesmo assim consegui ir em muitos.

As comidinhas são deliciosas, mas nem todas generosas. O espetinho por exemplo é bem pequeno, o churros também – mas para meu estômago de pintinho, foi o suficiente. Já o hot dog é imenso! Confiram alguns preços do que vi por lá:

Entrada R$180

Estacionamento R$16
Armário pequeno R$22
Armário Grande R$44

Água R$5
Refrigerante R$6
Cerveja em lata R$9

100g de balinhas fini R$7
Espetinho R$9
Churros R$8
Pipoca R$10
Hot dog R$25
Hamburger R$30

Foto feita por fotógrafo R$30
Mascote de pelúcia R$65

É bem caro, mas vale demais a pena. :)

A GAP chegou!

A marca americana GAP chegou em Recife com um abre de arromba. Muita festa, muita animação, comidinhas, banda e gente bonita. Pra quem, como eu, achava que os preços seriam aquele “precinho Brasil”, acabou se surpreendendo. As t-shirts carro chefe chegaram com uma promo de R$29,90 e a peça mais cara que achei custava R$249 (um vestido).

Aproveitei e comprei 3 t-shirts. A seção baby é de babar! Os preços, ao contrário da maioria das lojas de roupinhas para crianças, não custam uma fortuna. Body de R$44,90, camisetas de R$29,90 e acessórios fofíssimos para os pequenos.


Amigos na inauguração da GAP Recife

Com 670 m², a loja no Shopping Recife foi inaugurada com a nova coleção de verão para os públicos feminino, masculino, kids e baby. A paleta de cores foca nos tons pastel, com momentos de índigo e branco, a fim de celebrar a vontade de explorar e a liberdade características da estação. Com o jeans como pilar central, esta coleção inclui color block desbotados, branco tingido e o icônico índigo nos shorts, calças e jaquetas. “Queremos dialogar com o jovem consumidor brasileiro e, principalmente, proporcionar uma experiência única na forma de se vestir e se expressar”, afirma Carolina Correa, Gerente de Marketing da GAP no Brasil.

Segundo Dipa Di Pietro, Diretor de Branding da GAP no Brasil, “a GAP tornou-se um ícone cultural com sua competência em traduzir o moderno American style, conectando seu estilo casual e cool com o estilo de vida.

É aquela coisa: a GAP é pra quem curte um basicão. Jeans, camiseta, moletom… Vale a passadinha na loja. :)


Look da inauguração: blazer renner – blusa memove – calça looxx – sapatos kingster – bolsa juicy couture – óculos rayban

Related Posts with Thumbnails